quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

MINHA MÃE SURTOU! - E Agora Sophia?


Hoje eu vou contar uma coisa que está me perturbando. Minha mãe sempre teve umas bobagens de dizer que meu pai tinha outra família, mas não passava disso. E agora... OMG! E agora ela fala disso o tempo todo! E tudo não passa de viagem dela, vou explicar: primeiro, meu pai é médico. E vive viajando pra fazer palestras. O que já faz minha mãe pensar que em uma dessas palestras ele conheceu uma médica hiper gata, e se apaixonou, teve um caso, e agora é rodeado de mais filhos pra sustentar. Eu sei, não é maluquice? Mas um dia desses estávamos no mercado e ele acenou para uma conhecida. Segundo ele, ela participou de uma das palestras. Mas, vai dizer isso pra minha mãe! Quando a mulher foi embora, ela fez um escândalo do caramba!

- Quem é ela, ein?! É a sua outra mulher? Oh, meu Deus o que eu fiz pra merecer isso, O QUE? - gritou na sessão das carnes. Logo naquela sessão que sempre é a mais cheia - Mas eu sabia! Eu sabia... seu safado, não tem nem coragem de dizer o contrário! - Até ai, já estava se descabelando e colocando as mãos para o céu
- Ôh Claudia, se você for dizer que eu tenho caso com todas as médicas que já passaram pelas minhas palestras... EU TO FERRADO!
- Não mude de assunto seu médico-metido-a-besta! Seu Aberlado, o que eu te fiz pra merecer isso? Eu estou fora de forma? Tudo bem, mas você tem que entender que cuidar de quatro filhos não é mole! - Fez dramalhão quase chorando
- Meu bem, você está linda e perfeita! Está ainda melhor desde que nos casamos, e não pára de melhorar. Eu que deveria ter ciúmes de uma esposa tão maravilhosa como você. Mas por favor, com essa desconfiança toda eu me sinto mal, se eu errei, se esse ciúme é fruto de um erro meu, por favor, perdoe-me. Prometo que sempre te amarei e serei fiel como eu sempre fui e farei o possível para não repetir - Por fim minha mãe estava toda boba e mole feito margarina. Claro, meu pai espertalhão sabe que só bajulando o ego dela para amenizar essas situações constrangedoras. Mas ultimamente nem o cafuné no ego, está fazendo efeito. Todo dia ela vem com uma. Ontem, ela foi ligar pra ele, mas ele não atendeu. Simples, quando esta no meio da palestras ou em reunião, ele não atende. Agora tenta explicar isso a ela, tenta!

- Mãe... M-mãe! Por que você ta chorando?
- Seu pai não me atendeu... - disse já aos prantos
- Ah mãe, qual foi! Você sabe que ele só atende quando não esta trabalhando.
- MENTIRA! Ele diz isso, mas na verdade devia estar entregando os presentes de natal atrasado para os filhos bastardos. Ele pensa que eu sou idiota... mas eu, EU vou descobrir onde eles vivem, e vou pegar ele no flagra! - Cheia de idéias birutas
- Mãe, mãezinha, mamãe querida. Por que você acha que ele te largaria por outra? Mãe, se olhe no espelho! Daria tudo pra ser bonita assim... Só tento descobrir se eu que sou a adotada da história, ao invés da Mariana - tentei desviar o rumo da conversa
- Por que você diz isso? Você é linda filha!
- O mais engraçado é que com a beleza do meu pai e a sua juntas, eu deveria ser uma Miss Universo!
- O seu pai é bonito, sim. mas... isso! Ele é muito bonito. E esse é o grande problema. Filha imagina quantas mulheres estão dando em cima dele neste exato momento... NÃÃO!!! Prefiro morrer a ter que dividir a herança dos meus QUATRO filhos - sempre o número de filhos em maior destaque - que criei com tanto carinho, com filhos bastardos! E se ele morrer? E se a outra morrer? Vamos ter que colocar os outros aqui dentro de casa, o seu pai vai ter que criá-los. Nós vamos ter que criá-los! As despesas vão aumentar, vamos ter que tirar da sua poupança e a do Afonso, e a do Adolfo... Como vamos viver? Isso vai virar um hospício!
- Mãe, agora sei de onde vem toda a minha criatividade. Você bem que podia fazer um livro ou um blog. Seria o maior sucesso! - ironizei
- Você acha? Ah, que isso filha, obrigada. Será que eu teria tantos seguidores você?
- Como assim "como o seu"? Você andou fuxicando o meu blog?
- Não querida, foi coisa rápida, é que eu estava... Não mude de assunto mocinha! Respeite sua mãe.
- Não mude de assunto, você! Isso é invasão de privacidade. Só falta me dizer que andou lendo minha agenda...
- C-como você sabe? E por falar nisso, quem é Ademar? Não sabia que você andava dando umas bitocas por ai.
- MANHÊ! - Bom, ai foi o início de outra longa discussão. Falando em invasão de privacidade, ela decidiu dar uma de espiã, e ficou fuxicando as coisas do meu pai como a agenda, o celular, o carro... Ah, o carro...

- Abelardo quem é Ju?
- Do que você esta falando? - É difícil prestar atenção na minha mãe e no trânsito ao mesmo tempo. As duas situações estavam caóticas
- Não, se faça de sonso Aberlado! Ta bem aqui escrito. Ela escreveu quando vocês estavam indo para um restaurante pulquérrimo na Barra, igual o que você promete me levar, desde que adotamos a Mariana? - Mariana é minha irmã mais velha, e tem 20 anos
- Como assim escrito Ju? Ju não era a ex do Afonso?
- Abelardo eu não acredito que ainda por cima é a ex do Afonso, o seu filho que tem 17 anos! - Por acaso essa ex do meu irmão era mais velha, e médica, mas como o acaso é um maldito, eles só se conheceram porque ela participou de uma palestra do meu pai. Para piorar. Pode ficar pior?
- Pai, eu não acredito que você fez isso comigo! - Pode!
- Ta vendo, Abelardo. Ta vendo, você esta acabando com a estrutura da sua família, a família que construímos com tanto esforço. Você faz seu filho chorar! Por que não esperou esse ex-relacionamento ser mais antigo?
- Como assim esperar? Meu Deus, Sophia só você a Marina podem me proteger, nessas horas! Está tapando os ouvidos do Adolfo?
- Sempre! - distrai o caçula com meu ipod
- Não, pode largar os ouvidos dele! Ele tem que saber essas coisas, melhor antes do que tarde!
- Claudia eu vou te internar. Adolfo tem apenas 6 anos, não merece ouvir esses seus ataques. Ele pode crescer um insano. Como o Afonso, ele sim tem razão pra chorar.
- Está me chamando de maluca?
- Não, estou dizendo que está deixando toda a sua família maluca. Afonso, da pra você parar de chorar e contar que foi você que escreveu aquilo?
- É... fui eu sim - enxugando as lágrimas. Coitadinho logo o durão da família ainda não se recuperou de um amor fracassado e tão recente
- Droga, Afonso! Me fez passar como maluca. Tudo sua culpa!
- Minha culpa?
- CULPA DELE?! - perguntamos em coro
- É claro. Vocês que enchem minha cabeça de minhocas.
- E você a nossa de tantas interrogações. Vamos descer logo do carro já chegamos no shopping. Ah, querida, Já seguiu o conselho da Sophia de fazer um blog?
- Não, eu não sei fazer. Sophia, amanhã você me ajuda?
- Não posso, mãe vou estar ocupada cuidando dos meus irmãos bastardos - respondi causando risadas gerais, até do pequeno Adolfo
- Como assim? Então quer dizer que você os conhece? - E por sinal também uma nova discussão
- IIh, mãe. Relaxa, eu estava brincando.
- Não, volte aqui mocinha, me explica essa história direito! - E lá fomos nós, mergulhar outra vez nas desconfianças da mamãe...

#Créditos a minha querida amiga, que pediu para não revelar sua identidade (UAHSUAH), pois essa história é baseada em fatos que um dia ela desabafou e nos matou de rir. Brigada pela inspiração!

2 comentários:

  1. Nossa que loucura, tem selinho pra você lá no meu blog amora ^^

    ResponderExcluir
  2. muito engraçadooo cara ! fico imaginando essa filha coitada ! kkkkkk'

    ResponderExcluir

Dê-me o seu aval.