quarta-feira, 2 de março de 2011

Confabulando...

Encontrei pela internet, mas é idêntica à minha perda
"Você me olhava enquanto eu me exibia… e você se perguntava como podia me amar tanto. Isso porque segundo outras pessoas, tanto amor assim deveria ser dirigido a outras pessoas e não simplesmente para um simples animal de estimação.  Eu via seus olhos brilhando ao se encontrarem com os meus. Você não queria que aquilo acabasse nunca, e acreditava que aquilo ia ser para sempre. Muito menos eu, que me sentia a criatura mais amada do mundo. Você sentia-se até mal por perceber que demonstra mais amor por suas felinas do que por seres humanos. Mas não tem culpa, no seu lugar faria o mesmo. Nós te aceitamos pela sua essência, pelo amor que sente por coisas simples, pela forma de dar valor a tantas coisinhas pequenas. Mas ao contrário disso, eles, os seres humanos, te julgam. Não gostam de você pelas coisas que você faz, pelas coisas que você mostra ser, pelas coisas que você diz ser. Eles não têm motivo para não gostar de ti. Arrumariam qualquer desculpa, para não aceitarem a boa pessoa que é você. E é dessa pessoa que eu sinto falta. Muita falta. Mas eu não sei te encontrar. Não posso te chamar... Onde está você? Ou, onde eu estou? Você não pode me encontrar?" 
-
Eu te chamava e você não me ouvia... Eu andava pelo quintal, um lugar que se tornou enorme. Pois te procurava pelos cantos e não te encontrava. Continuava chamando, mesmo tendo quase a certeza de que você não me ouviria. E continuava chamando, pois já que a esperança é a última que morre, não ia desistir. E continuava a te chamar, porque não queria deixar esse monstro aqui dentro me consumir aos poucos. Consumir todas as minhas forças aos poucos. Toda a minha esperança... aos poucos.
-
"Eu te olho agora, querendo saber onde ela está... Te chamo, mas você parece distante. Te chamo, mas você parece não querer me ouvir. Primeiramente achei que quisesse me ignorar, então quando senti seu toque, pude perceber também a dor. A dor que a saudade te causa, e vi que não é pouca..." 
-
Estava no computador e como de costume vieram vocês duas me chamar, mas você em especial colocou as patas na minha perna, então percebi “você voltou”, e no momento que me dei conta e me preparava para matar aquilo que me matava internamente, acordei. E tudo perdeu o sentido novamente. A dúvida mais uma vez se apoderou da situação.
-
"Eu continuo a chamando pelos cantos, procurando. Durmo nos locais, os quais ela dormia. Mas ela não voltou. Te peço carinho, faço charme, pra você perceber. Mas não adianta, ela ainda não voltou. Por que você não faz nada? Por que você não tenta vencer essa dor ai dentro, e se supera? Sei que pode ser difícil, mas talvez você possa chegar mais perto dela do que eu... Me ajuda?" 
-
Enquanto dormia, vi você entrando no quarto. Surgindo pelo lado direito da cama, e então levo um susto. Ela, pula pela janela, em cima de mim. “Sim, ELA! ELA VOLTOU!” logo pensei. Então me prostrei-me de imediato sentada na cama, para dar amor as duas, que neste momento estavam no meu colo. E exatamente quando estendi minha mão para tocá-la e tentar matar aquela sensação, acordei. E novamente percebi, não passava de um sonho.
-
"Não desista, por favor. Eu também não quero desistir. Já é minha segunda perda. Na verdade NOSSA segunda perda. E mais uma vez, só nós duas. De alguma forma você percebe como me sinto, e é ruim. Muito ruim. Não aguento mais sentir isso... e sei que você também não" 
-
Tudo que eu queria, era poder fazer alguma coisa. Agora ela está lá, e nem eu, nem você sabemos onde fica o “lá”. Era exatamente tudo que precisámos, não importa, se fosse pra descobrir se você está morta, ou se simplesmente alguém a levou, seja lá por qual objetivo fez isso. Só pedimos uma coisa, mesmo que saibamos que pode não fazer muita diferença, mas... VOLTA?
-
"Não, deixe a esperança morrer... não se deixem morrer... me encontra?"

...Com Gatos

Não morri

Desculpem-me! Senti muuuuita falta de vocês. E agora estou aqui novamente. Não prometo que essa demora não vá acontecer novamente, mas com maior frequencia estarei aqui, sim. E pra provar isso, aqui já vai outro post. O blog mudou de novo, e a tendência é mudar mais. Outro ano aqui na atividade e além disso o blog sou eu, e eu sou o blog né gente. E eu mudo muito :) Enfim, obrigada pelo carinho, e irei responder a todos os comentários ! Beijos